A depressão do seu funcionário é seu problema sim!

A depressão do seu funcionário é seu problema sim!

Depressão não é frescura. Não é questão de falta de motivação. A doença tem crescido muito dentro do ambiente corporativo. O que sua empresa tem a ver com isso? Tudo.

Artigos
08 de Agosto
0
comentários

Em 2016, segundo um relatório da OMS, estima-se que mais de 75 mil brasileiros foram afastados do mercado por causa da depressão (eu ainda acho que é maior). O Brasil é o líder mundial em casos de ansiedade e o quinto em depressão. Os transtornos mentais já são o terceiro motivo entre as causas de concessão de benefício auxílio-doença e afastamentos. Até 2030, a depressão será a doença mais comum no mundo.

É claro que muitas empresas têm acordado para esta realidade e feito um trabalho bem interessante frente a esta preocupação, no entanto, a grande maioria acaba ficando apenas com a mente no prejuízo e fingindo uma preocupação sem atitudes. Por isso, muita gente sofre calado dentro das corporações.

Eu trabalhei em uma empresa que os funcionários não poderiam ter um diálogo aberto com a instituição porque sempre os gestores tinham a tendência de achar que é apenas "corpo mole" dos colaboradores. Isso é crônico e preocupante. Além disso, normalmente, os gestores passam a ver as pessoas como uma peça que precisa de conserto e não como uma pessoa que sofre algo sério e destrutivo.

Quando a coisa é realmente grave, tudo que oferecem é a sua pena. Zero compreensão e paciência. Por isso, acredito que precisamos tratar este assunto com tamanha seriedade e aprender não só a fazer campanhas dentro das empresas, mas realmente ter atitudes de colaboração e empatia.

 

O que eu posso fazer pelo meu colaborador ou pelo meu colega?

Se você acredita que existe um colega de trabalho, alguém na sua equipe ou um companheiro de profissão que está em um quadro depressivo, quero te dar umas dicas bastante importantes:

  • Jamais diga para ele não tomar remédios.
  • Nunca diga que é só uma fase e que vai passar logo.
  • Você não pode tentar comprar seu trabalho com mais dinheiro.
  • Simular um ambiente “good vibes” com campanhas de RH não ajudam.
  • Não adianta ficar dizendo clichês de nenhuma espécie.
  • Converse sobre terapia com ele. E nunca o impeça de ir. Encoraje-o.
  • Não insista para que mude sua aparência. Isso não resolve.
  • Não finja que está tudo bem. Esta é a pior ajuda que alguém pode dar.
  • Viver falando para ele “botar um sorriso no rosto e seguir” é inútil.
  • Não mande ele esquecer sua depressão durante o expediente.
  • Nunca diga que suas atitudes são fingimento, frescura ou “corpo mole”.
  • Julgar a razão da depressão de alguém só piora a situação.
  • Não queira o levar para seu culto ou religião. Deixe ela se encontrar.
  • Não cobre mudanças sem apoiá-los de verdade.
  • Depressão não tem a ver com falta ou excesso de dinheiro.
  • Estar depressivo não é estar triste.
  • Nunca compare a vida dele com de outra pessoa.
  • Não finja se importar se não se importa.
  • Nunca desista de alguém depressivo.
  • Ela não vai “fazer um esforcinho” se você também não fizer nada para ajudá-lo.

Se você é gestor, o que você está fazendo em frente a isso? Se você é funcionário, como você está disposto a mudar isso?

É preciso tratar o assunto de maneira correta e fazer um encaminhamento para uma médico responsável e o mais importante: Apoiar sempre como humanos que entendem que qualquer pessoa está suscetível a sofrer com isso. Sim, qualquer um pode ter que enfrentar algo semelhante um dia. Ajudar é mais do que falar.

Não precisamos de gestores que pensem apenas em evitar futuras dores de cabeça na justiça, mas que vejam que a condição de saúde do seu empregado é o maior bem dentro da sua empresa.

Chega de fingir, é preciso aprender a cuidar. Como você tem se tornar um ajudador?

 

Fonte: Murillo Leal

Enviar para um amigo