Não tem experiência na área em que quer trabalhar? Saiba o que fazer!

Não tem experiência na área em que quer trabalhar? Saiba o que fazer!

A falta de experiência profissional não exige que você deixe seu interesse de lado. Saiba o que fazer para entender como entrar em uma nova área

 

Artigos
22 de Novembro
0
comentários

Todo profissional começou sua carreira de algum jeito, em algum lugar. Essa a primeira informação que você deve manter em mente se quiser trabalhar em alguma área em que ainda não tem nenhuma experiência.

A segunda é encarar o mundo real: o que é preciso para trabalhar na área que lhe interessa e quais são as possibilidades que estão ao seu alcance? 

A terceira é arregaçar as mangas e procurar oportunidades, mesmo que não sejam remuneradas, para colocar os pés na água.

Tocar projetos pessoais, ajudar voluntariamente organizações relacionadas ao tema e investir em cursos e eventos, por exemplo, são ótimas maneiras de entrar em contato com um novo universo.

A melhor parte? Angariar experiência não é difícil e há muitas portas abertas por aí. Basta saber onde elas estão.

 

Pesquise sua área de interesse

Na era da informação, a internet é sua grande parceira.

É possível pesquisar tudo sobre sua área de interesse – prefira sites que já falam do mundo profissional, como LinkedIn e o próprio NaPrática.org –, entender quem são os principais atores, quais são os maiores desafios e oportunidades, como é o início de carreira, quem atua na sua região e marcar conversas com profissionais para aprender direto da fonte. 

Não sabe com quem conversar sobre a carreira no mercado financeiro, empreendedorismo em educação, moda ou gestão de pessoas? É fácil: ative sua rede de contatos!

Pergunte no Facebook ou Twitter se alguém tem um conhecido na área ou aborde um desconhecido por e-mail ou LinkedIn, sempre utilizando um texto de apresentação que explique sucintamente quem você é, o que busca e por que acha que aquele indivíduo pode te ajudar.

Você dificilmente ficará sem resposta e pode até conseguir contatos importantes pelo caminho.

Outro jeito interessante é através do Carreira Na Prática, um curso de decisão de carreira que leva interessados para uma imersão profissional temática que inclui bate-papo com profissionais da área e visitas a empresas.

 

Aprenda o que importa

Com as informações sobre a área de interesse em mãos, é hora de partir para a prática.

Caso sua área de interesse não exija formação técnica – é impossível atuar como engenheiro, advogado ou médico sem diploma, por exemplo – mas precise de outras habilidades, comece a pesquisar o que você precisa saber para se tornar um profissional atraente.

Em seguida, complemente sua formação com especializações, pós-graduações, estudos independentes, tutoriais e cursos online (pesquise o que há em plataformas como Udacity, Veduca, edX e Coursera), entre outros.

Não é preciso investir grandes somas e, às vezes, não é preciso investir nada mesmo: há muito material gratuito e de qualidade disponível. 

Ainda não sabe o que desenvolver mesmo depois da pesquisa? Simples: pergunte para profissionais da área utilizando o mesmo método de abordagem explicado acima.

Pergunte que habilidades e competências eles mais usam no dia a dia, o que vislumbram no horizonte, o que gostariam de ver num candidato, o que gostaria de saber desde o começo e aproveite para pedir dicas de leitura, cursos, vídeos…

Tudo aquilo que puder lhe ajudar a construir um retrato realista da situação atual de sua área de interesse é útil.

 

Aplique seu conhecimento

Se você sente que está pronto para mergulhar no dia a dia da área, comece a abordar as empresas ou organizações que lhe interessam em busca de estágios ou experiências não-remuneradas.

Invista em mensagens de apresentação bem feitas que expliquem seu interesse, o que gosta naquela organização, o que espera oferecer e porque acha que aquele é um ótimo lugar para aprender.

Você vai se surpreender com a quantidade de pessoas dispostas a auxiliá-lo nesse processo.

Para quem quer entrar em uma nova área, o mais importante mesmo é adquirir o conhecimento e aplicá-lo, mesmo que seja num projeto pessoal ou algo de pequeno porte.

Assim, você terá uma experiência que comprova tanto como você aplica suas habilidades e conhecimentos quanto que seu novo interesse é genuíno.

É um ponto fundamental: no fim das contas, são suas conquistas e avanços que vão fisgar a atenção de um eventual empregador.

Mostrar que seu interesse é consistente e que você tem vontade e proatividade para aprender faz toda a diferença. É o que especialistas da Fundação Estudar – que tem anos de expertise na seleção de jovens talentos – chamam de ter uma “história congruente”.

E quando você já tiver uma para contar, veja as outras dicas do NaPrática.org e saiba como fazer uma apresentação pessoal perfeita.

 

Lembre-se: quem manda na sua carreira é você

A boa notícia é que o mercado de trabalho está cada vez mais aberto e um número crescente de empresas se interessa menos pelo que está escrito no diploma e mais por sua capacidade de aprender e assumir novos desafios.

Nenhuma vontade vai sair do papel sem uma postura proativa e uma atitude protagonista e novas experiências dificilmente vão cair no seu colo, especialmente quando estão fora de sua zona de conforto.

Então aproveite as inúmeras oportunidades do século 21 para aprender e progredir sem medo.

Quanto mais interessado e preparado você estiver, maior será o número de portas abertas ao seu redor – e na área que você quiser.

 

Fonte: Adaptado de Na Prática

Enviar para um amigo