Qual a importância do perfil DiSC para a sua carreira profissional

Qual a importância do perfil DiSC para a sua carreira profissional

Imagem: Pixabay

Artigos
27 de Novembro
0
comentários

 A teoria DiSC representa cada um dos quatro tipos de perfis principais que uma pessoa pode ter: dominância, influência, estabilidade e conformidade. Essas palavras podem mudar de acordo com a metodologia usada, mas se forem fiéis ao DiSC original, baseado na teoria de William Marston, devem compreender um conjunto de palavras que tragam significado igual ao das palavras acima.

Compreender essas quatro qualidades dentro de cada pessoa aumentará, significativamente, o autoconhecimento, a habilidade de se relacionar e de lidar com diferentes situações da vida cotidiana e profissional. Dentro de cada indivíduo existem variados graus dos quatro perfis, nenhum é melhor ou pior que o outro, mas cada um dos tipos é mais adequado para determinada situação.

 Conhecendo cada um dos graus do perfil DiSC

A dominância, por exemplo, define as pessoas ativas ao lidar com problemas e desafios, costumando ser diretas, exigentes e determinadas em seus objetivos. A influência está relacionada às pessoas que utilizam o poder da comunicação, gostam de conversar e sabem persuadir o próximo de forma amistosa, enquanto a estabilidade define as pessoas que buscam a segurança e não gostam de mudanças súbitas, sendo pacientes, gentis e calmas.

A conformidade é a característica das pessoas disciplinadas, precisas e analíticas, que buscam o perfeccionismo. Uma pessoa com elevado índice de estabilidade e baixo de dominância tende a se estressar atuando em cargos de chefia, enquanto alguém com alta dominância e baixa estabilidade pode ter dificuldades para acatar ordens. Contudo, na mente humana tudo é relativo e a pessoa pode dosar os perfis dentro de si para cada situação, aperfeiçoando seu comportamento e evoluindo como pessoa e profissional.

Uma ferramenta de análise de perfil comportamental

Cada um dos padrões comportamentais tem um valor único em termos de características gerais, motivações e contribuições, ou seja, não há um padrão melhor ou pior que outro. As tendências de cada um podem ser funcionais ou disfuncionais dependendo da intensidade de uso dos comportamentos e dos requisitos específicos do desafio em questão.

 

Por  Kailash Bernucci, Digital Intelligence na Vitrio

Fonte: Mundo RH

Enviar para um amigo