Como começar um portfólio do zero

Como começar um portfólio do zero

Mesmo que sem experiência, é possível reunir materiais para se mostrar ao mercado

 

Notícias
31 de Julho
0
comentários

Para os recém-formados, ou quem ainda não reuniu experiência necessária para montar um portfólio, sempre há o desafio de quando e como começar. O portfólio segue como uma ferramenta fundamental para complementar seu networking e o processo na disputa por uma vaga. Mas sua composição requer algumas técnicas importantes a serem consideradas.

“No início o seu potencial precisa ser explorado, mas sem oportunidades fica muito difícil, então, a principal recomendação é mostrar a capacidade que você tem em desenvolver os trabalhos da sua área. Hoje, temos diferentes possibilidades, mas o mais importante é ser on-line. Então para começar, devemos usar algum serviço ou ferramenta pronta”, diz Ricardo Ribeiro, diretor sênior de arte da Rapp Brasil.

Ribeiro indica algumas ferramentas que podem ajudar a criar um portfólio digital. Dentre elas:

Plataformas prontas e grátis:
Cargo Collective (cargocollective.com)
Behance (behance.net)

Plataformas pagas:
Carbonmade (carbonmade.com)
Portfóliobox (portfolio box.net)
Smugmug (smugmug.com)

Desenvolvimento de site:
Wordpress
Wix
HTML

“Depois que criamos o primeiro, atualizar e evoluir é sempre necessário, então esteja atento, muita coisa acontece e o que você fez hoje pode ficar antigo ou desnecessário amanhã”, diz Ribeiro. Já para quem possui um portfólio consistente, Ribeiro reforça algumas dicas para mantê-lo relevante:

-Não coloque todos os trabalhos que já desenvolveu.
-Não coloque trabalhos que não identificam o seu real propósito, somente porque já fez.
-Selecione os melhores trabalhos e deixe apenas o necessário.
-Descreva a proposta dos trabalhos, identifique o que você realmente fez, quando fez e onde.
-Separe por categorias para ser encontrado mais facilmente
-Deixe seus contatos em evidencia ou fácil de ser encontrado.

Ricardo Borger, redator da SalveTribal Worldwide e orientador da plataforma Tapanoportifa, afirma que um bom portfólio está sempre em construção. “Não importa quantos prêmios você ganhou, que conceito brilhante criou, qual campanha popular veiculou sem parar. Portfólio tem que ter novidade, tem que ter frescor. As pessoas esperam isso e o mais importante: você mesmo espera isso de você”, diz Borger.

Para Borger, mandar link ou ir pessoalmentena hora de apresentar um portfólio depende do candidato e da pessoa que vai olhar o trabalho. “Geralmente, pessoalmente é mais legal pra passar e pegar feedback e conhecer as pessoas. Mas eu não tenho nada contra mandar o link. As vezes resolve, já vi bastante gente arrumar trampo assim”, afirma.

Ele ressalta que muitos dos portfólios que vê e recebe são parecidos e isso é ruim. “O mesmo tipo de ideia, para os mesmos tipos de cliente. Por mais que você tenha que mostrar a sua capacidade de ser disruptivo, de escrever conceitos ‘soltinhos’ e fazer pôsteres com grid desconstruído, é importante mostrar que você consegue resolver diferentes tipos de problema, de jeitos diferentes. Então, diversifique, nos formatos e no estilo de cada ideia, de cada texto, de cada layout”, diz Borger.

 

Fonte: Meio & Mensagem

Enviar para um amigo